Pachamama vence Edital Socioambiental CASA/CEF

CASACEFProjeto “Orgânicos em rede: reorganização da cadeia produtiva na Comuna Pachamama a partir da produção de mel”, com construção assessorada pelo Cidade, vence edital do Socioambiental CASA/CEF.

O Cidade garantiu, através da assessoria direta, que o projeto de reorganização territorial e consolidação de um núcleo econômico da Comuna fosse conquistado. Somos agradecidos ao Núcleo Amigos da Terra Brasil (http://www.natbrasil.org.br/), por nos por a par do edital.


Veja o resultado aqui (http://www.casa.org.br/images/pdf/relatorio_final_fortalecimento_comunidades_busca_pela_sustentabilidade.pdf)

Veja mais em http://ongcidade.org/site.php?/noticia/id/1671

Renova-se projeto de extensão para apoio técnico à Rede

O segundo ano de colaboração entre Laboratório Cidade em Projeto (Faculdade de Arquitetura/UFRGS) e Cidade – Centro de Assessoria e Estudos Urbanos inicia-se com muito trabalho de desenvolvimento de novos projetos e mutirão na terra das orquídeas.

Com a renovação do projeto e das bolsistas de extensão, iniciamos o ano construindo uma cartilha (em breve disponibilizada neste site) para a formação de um grupo de futuros moradores para auxílio no trabalho social do Orquídea Libertária. O caderno é o documento de projeto, com textos e os desenhos feitos durante todo processo de planejamento e execução do projeto participativo. Como de praxe nos projetos relacionados à Rede de Comunidades Autogestionárias, a aprovação do boneco da cartilha foi seguida de um mutirão, no qual as novas bolsistas Debora Pustai e Bibiana Umann puderam inserir-se e ser conhecidas pela comunidade do projeto Orquídea Libertária.

As meninas organizam as telhas que são tiradas de construção a ser demolida...

As meninas organizam as telhas que são tiradas de construção a ser demolida…

... enquanto outra parte do grupo retira as telhas.

… enquanto outra parte do grupo retira as telhas.

Neste novo ciclo, como no anterior, o Cidade, com apoio do projeto de extensão, assume tanto o pontapé inicial na organização dos novos projetos, quanto o trabalho social de conscientização e diminuição da dominação técnica relacionada a aos processos de formação de “territórios liberados”, política da Rede, da qual o Cidade faz parte a partir do trabalho social de apoio técnico que desenvolve.

Nota sobre o conjunto Orquídea Libertária em 22/06/2014

No último domingo 22/06 estivemos presentes na festa junina do futuro conjunto Orquídea Libertária, que encontra-se em fase de trabalho social. Entre a cozinha improvisada para o mocotó e a ciranda infantil, fizemos uma conversa inicial sobre os objetivos do encontro, abrindo alguns campos de debate. Logo após dividimos o grande grupo em outros 3 grupos de aproximadamente 20 pessoas, separados pelos temas de saúde, educação e território. Os debates foram ricos em termos de prospecção de memórias, necessidades e montagem de cenários futuros.

2014-06-22 12.47.062014-06-22 13.09.512014-06-22 13.16.332014-06-22 15.48.30O encontro fez parte do trabalho social para a formação do novo território, já preparando a fase de projeto arquitetônico, que, a partir deste trabalho prévio, seguirá como um área específica do projeto da Rede de Comunidades Autogestionárias.

Estiveram presentes no encontro parte dos futuros moradores, COOPSUL, Movimento Nacional dos Catadores, Movimento Utopia e Luta, o secretário de governança de Gravataí, ONG Cidade, Federação dos Metalúrgicos e vizinhos do bairro.

PRIMEIRA ASSEMBLÉIA DA REDE DE COMUNIDADES AUTOGESTINÁRIAS

No último sábado, dia 15 de março, na Casa de Economia Solidária, foi realizada a primeira assembléia da Rede de Comunidade Autogestionárias – RCA, para informar e autoformar os participantes e colaboradores da Rede com os relatos do andamento do projeto.

DSC02193Cerca de 30 pessoas participaram do encontro. Estiveram presentes técnicos, lideranças do Movimento Nacional de Catadores (MNCR) de Gravataí, estudantes, componentes da Comuna Pacha Mama de São Gabriel, Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD), representantes do Escritório Modelo da UFRGS (EMAV) entre outros membros da universidade, além da equipe social e de território da RCA, entre outros apoiadores e movimentos.

O objetivo principal foi apresentar a síntese dos principais trabalhos desenvolvidos desde o início da articulação da Rede, tanto no que diz respeito a construção do projeto, até os conceitos. A apresentação foi dividida em três partes: Geral, núcleo de trabalho território e núcleo de trabalho social. A parte mais acalorada do debate foi o momento de construção dos critérios de seleção para os participantes do primeiro projeto, do MNCR.

DSC02155DSC02177O núcleo social ressaltou a importância da multiplicação de saberes para o trabalho coletivo. A troca de experiências, compartilhamentos dos meios de produção, apoio mutuo para formação cultural, econômica e política que fazem parte do trabalho da rede.

DSC02171A equipe territorial apresentou um estudo sobre o projeto da infraestrutura para o caso de Gravataí (MNCR). Através de gráficos, maquete e imagens do terreno e dos estudos de unidade habitacional, discutiu-se a base material para a organização social e econômica.

DSC02179Após as apresentações, seguiu-se ao debate para a avaliação dos trabalhos e para a construção das perspectivas concretas de ação para o próximo mês. Nova assembleia acontecerá neste prazo e será aberta aos convidados da articulação e chamada pelas equipes de trabalho.

DSC02197DSC02211